A CIA, os EUA e o Mundo em 2020 - Quem Viver Verá

Brasão da CIA, Agência Central de Inteligência dos EUA, em forma de moeda, via Tutti Dominati

No início deste ano, finalmente e com alguns anos de atraso, li um livro que me interessava já há algum tempo: O Relatório da CIA - Como Será o Mundo em 2020. Eles fizeram um trabalho amplo, bem documentado e bem embasado, através de debates com especialistas de diversos setores de vários lugares do mundo. E fora algumas coisas óbvias, que a maioria de nós poderia "prever" sem ter todo este trabalho, o livro faz um retrato bastante interessante de como pode vir a ser o mundo em 2020.

O relatório apresenta 4 possíveis cenários: um em que os EUA mantêm sua posição de número 1 do mundo; outro em que ele passa a dividir suas "responsabilidades" com outras potências; outro em que a Ásia passa a ter um papel mais importante na paisagem global - especialmente China e Índia; e, o que seria mais catastrófico, um em que o islamismo radical tomaria proporções alarmantes, ocasionando aumento das atividades terroristas e criminosas internacionais. Também relata que não é provável que um cenário apenas predomine absoluto, mas que haja um amálgama dos 4 cenários, com 1 ou 2 se sobressaindo, e o restante também estando presente em menor grau.

Intenções Ocultas?
Ao lado, capa do livro  lançado em 2006, pela Ediouro

Dito isto, agora vem o real motivo deste comentário. Tem mais a ver com teorias conspiratórias. Melhor dizendo, tem a ver com as reais intenções da CIA/EUA ao divulgar um relatório que, para dar uma vantagem de fato ao governo dos Estados Unidos nas relações internacionais nos próximos 10 a 15 anos, deveria ser, suponho, sigiloso - aliteração à parte.

Mesmo que muita coisa ali seja de conhecimento público e apesar de algumas obviedades, é no mínimo curioso que um órgão governamental desde sempre ligado a segredos de espionagens, contra-espionagens e quejandos, divulgue aquele tipo de informação da forma que divulgou. Me parece claro que há uma intenção não revelada. Talvez as conclusões e análises mais importantes, feitas por seus analistas mais gabaritados, não tenham vindo a público. Talvez a ideia seja mesmo de promover o debate, a reflexão e providências a respeito dos cenários traçados, principalmente em relação ao caótico do Novo Califado.

Provavelmente nunca vamos saber, mas não custa nada ter um pé atrás em relação a tudo que eles colocaram no texto. Aliás, para vosso conhecimento, eles não chegam a dar um grande destaque ao Brasil, mas, en passant, nos colocam como peças importantes no jogo das relações internacionais. Seja em relação aos nossos vizinhos sulamericanos, seja como potência econômica emergente. De qualquer maneira só o tempo dirá se eles acertaram muito ou se erraram feio. Esta crise atual, por exemplo, eles não previram. Mas isso é outra história.

Abraços, saúde e sucesso!

PS:
Se você quiser saber mais a respeito do relatório, dá uma olhada neste link, onde há uma resenha do mesmo. Também fique à vontade para deixar a seu comentário sobre minhas "Teorias da Conspiração".



Bookmark and Share

Comentários

  1. Alexandre, boa dica de livro. Lerei e depois comento com mais embasamento, ok? Tanto livro pra ler e tão pouco tempo não é mesmo?

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. "Tanto livro pra ler e tão pouco tempo"... Isto me lembra um episódio de "Two And A Half Men" em que o Alan chega neste ponto, por causa do filho que está crescendo, e começa a pegar todos os livros que vê na estante da loja.


    Acho que estou quase lá... rsrsrs... Aliás, esta é uma ótima série de comédia.

    Abraços, Vanessa, e obrigado pelo comentário!

    ResponderExcluir
  3. Deve ser muito interessante, que coisa de filme!

    ResponderExcluir
  4. Kkkkkkkkkkkkk
    Brasil des-emergente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, está mais pra isso... hehehe...
      Mas, de qualquer maneira os caras foram bem no alvo com relação aos quatro grandes cenários.

      Excluir

Postar um comentário