Yin e yang, bem e mal, santos e demônios

Face ao fenômeno das redes mídias sociais, a reboque do desenvolvimento da internet, muitas pessoas apressam-se em relacionar as mazelas de orkuts e companhias. Dizem algumas destas pessoas que só existe o que não presta ali dentro. De fato, existe sim muita coisa inútil, anti-social, criminosa e por aí vai.

O que estas pessoas relutam em admitir é que tais ferramentas representam nada mais que um retrato da sociedade. Se ali há todo tipo de coisas ruins é porque também elas existem no meio da sociedade “não-virtual”. Por outro lado, assim como na “vida real”, também no ciberespaço existem muitas coisas úteis, boas, aceitas socialmente, etc.

De Jesus Cristo a Hitler: um (poucos) clique(s)
Ok! Admito que a grande diferença é que ali, no mundo virtual, o bom dista do mal por apenas alguns cliques. É muito fácil sair de um site que fala sobre, digamos, a vida de Jesus Cristo, e cair num lugar que prega a volta do nazismo e ensina a fazer bombas caseiras. Porém não é criticando e vociferando que se vai melhorar a situação. Mesmo porquê a internet e as comunidades virtuais (sejam de qualquer tipo) vieram para ficar. E o número de usuários aumenta exponencialmente a cada dia.

Um político de Palmas (TO) costuma dizer que quanto mais pessoas de bem participarem da política, mais ela vai se aproximar do que esperamos dela. Assim também será com a internet. Quanto mais pessoas com boas idéias, intenções e atitudes fizerem parte do ciberespaço, maiores as possibilidades de contribuições para o aperfeiçoamento da rede e de suas comunidades. Para tornar a internet um lugar “do bem”.

Aliás, uma das grandes sacadas dos últimos tempos foi aproveitar os conceitos de comunidade e colaboração para compartilhar com os usuários a responsabilidade pelas informações que circulam no meio eletrônico.

Um exemplo vem da área de comércio. Em um site de busca de ofertas os consumidores, à medida em que realizam suas compras, vão dando notas aos vendedores sobre confiabilidade, prazos de entrega, atendimento, etc. Isto vira uma bola de neve e os vendedores mais bem cotados tendem a aumentar sua base de clientes, que por sua vez, provavelmente, vão dar boas notas, que vão servir para atrair mais clientes...

Natureza libertária
Este tipo de participação pode, deve, é e certamente continuará sendo usado nas comunidades virtuais e em sites de todo tipo para aperfeiçoar a experiência do usuários com a rede. No orkut isto já está sendo feito. Tudo bem que é de uma forma ainda incipiente, mas, parafraseando um velho ditado, uma grande jornada começa com o primeiro passo.

Só não podemos nos enganar pensando que a internet será controlada de fora para dentro. Isto vai contra a natureza libertária e democrática da rede. E todos sabemos o que acontece quando afrontamos a natureza. Que o diga o tal do aquecimento global...

Comentários